sábado, 31 de março de 2012

Os lagartos da Páscoa

Aqui fica um vídeo com os lagartos da Páscoa, tradicionais em Marvão, Castelo de Vide, Portalegre (e não sei se por mais alguma terra)
Quem se quiser aventurar na cozinha, tem aqui a receita. Quem for mais de comer e menos de cozinhar, sempre pode encomendar na Mercearia de Marvão.
Feitos pela D. Luísa Almeida, são uma delícia! Também existem na versão coelhinho, com o ovo na barriga.
Os lagartos são tradicionalmente oferecidos na Páscoa pelos padrinhos ou pelos compadres/comadres

sexta-feira, 30 de março de 2012

Esgamachas

Arrumando as compras no saco, dizem um para o outro:

- Oh homem, olha que me estás a esgamachar isso
- Ora, isso também é para esgamachar na barriga...

(perguntei depois, esgamachar é esborrachar, à moda de Montalvão-Nisa)

E assim aprendi uma palavra nova, logo de manhãzinha

quarta-feira, 28 de março de 2012

A Mercearia não é só minha, é vossa também


De vez em quando sou surpreendida com a generosidade das pessoas.
É que a generosidade manifesta-se de várias formas. É a visita de amigos que não via há imenso tempo, são donos de lojas inspiradoras que fazem um desvio na rota alentejana para me conhecer ou me sugerem novos produtos, é também a oferta de objectos que vão enriquecendo a minha galeria.
Crescem assim as histórias para contar. Os dias ganham mais sentido. A mercearia cresce, e cresce também a sensação que este projecto não é só meu.
É de todos que o ajudaram a nascer.
É de todos que o visitam, que aqui fazem compras.
É vosso, tanto quanto meu.
OBRIGADA!

sexta-feira, 23 de março de 2012

O ceguinho

Era um cão mas parecia um coelhinho sempre aos saltos.
Era um cão e era um sobrevivente.
Bonito ou apenas patusco, conforme que olhos o viam
Era um cão mas ele não via ninguém, era cego.
Chamava-se Pacho, eu chamava-o ceguinho.
No tempo em que os donos moravam em Marvão, o ceguinho parava muito pelo Largo do Pelourinho. Por vezes, quando eu chegava de manhã, ele andava por lá mais a Mimi, a mãe. Esperavam a dona que bebia café com as colegas no Sr. Fernando.
E por vezes depois do almoço, eu fazia a rua do Relógio e encontrava-o já na esquina.
O ceguinho teve muita sorte com os donos que lhe calharam. Tratavam-no bem, tornaram-no um cão independente, com toda a certeza feliz.
Apesar de cego, não andava à trela, explorava a vila à vontade, como qualquer animal deve poder fazer.
Não dava mão, ou seja, não me deixava fazer-lhe festas, com uma desconfiança natural. Arranjou uma forma engraçada de andar por aí, uma mistura de tacto (ou seja, com as patinhas), a audição e o olfato. Andava aos pulinhos, tateando, farejando, explorando.
Agora que penso nisso, Marvão é uma terra boa, também para os cães.
O Popov, a Nina, o Boris, o Scott, o Sebastião, o Lucas e todos aqueles de que não me lembro o nome, têm donos que os cuidam. Há excepções, claro, infelizmente.
Sim, eles sujam as ruas, e ladram de vez em quando, fazem-nos esperar quando não se desviam dos carros e assustam aqueles que não gostam de cães*
Mas são de facto os nossos melhores amigos. Desinteressados, fieis, carinhosos. Ficam felizes com tão pouco....
O ceguinho já morreu. Deu-me saudades quando vi a foto que a dona dele colocou ainda à pouco no facebook. Deu-me saudades de o ver por aí a saltitar, na vinda do almoço.
* já ouvi a alguém e acredito ser verdade, quem não gosta de cães não pode ser uma boa pessoa.

terça-feira, 20 de março de 2012

Em Nisa

video




Aproveitei a minha manhã de folga para ir a Nisa. Parei na oficina do Sr. Pequito e da mulher, para comprar barro decorado com pedrinhas, típicas de Nisa.



As cantarinhas, as "pixeiras" e todos os outros trabalhos são moldados pelo Sr. Pequito e decorados pela sua senhora. Adoro o modo como ela toca as pedrinhas. Tanto ano, tanta experiência, tanto saber.





video



O Centro Municipal de Artesanato é dos meus sitios preferidos. Uma mesa de alfaiate enorme, o som das máquinas de costura, as senhoras, doces senhoras que fazem coisas tão bonitas. A do filme estava a fazer um enorme cortinado para uma das janelas da Assembleia da República.



Comprei pegas, sacos das amêndoas, bolsas variadas, de feltro, para trazer para a Mercearia.



Gosto muito de Nisa. Há qualquer coisa de mágico no sotaque, na riqueza do artesanato, na doçura das pessoas.

sábado, 17 de março de 2012

O Pirulito (e tem berlinde!)



Ontem o veterinário (Dr. Caldeira Martins) entrou na Mercearia e disse:

- O prometido é de vidro.

E era.

Deixou no balcão uma garrafa de pirolito

sexta-feira, 16 de março de 2012

Visitas


A Elsa Galvão, para além de ser uma simpatia, é uma artesã de mão cheia, que faz andorinhas, peixinhos e folhas em feltro, para pregadeiras e imans.
No horário apertado das gravações da novela que está a ser filmada em Castelo de Vide, arranjou um tempinho para uma visita à Mercearia. Eu pedi uma foto, claro está!

Pelos trilho de Marvão, caminha-se com vontade e genica!



quarta-feira, 14 de março de 2012

Gorduchas de Marvão (mais magrinhas e com badalinho)

Da série "Gorduchas de Marvão", surgem estas mais delgadinhas, talvez pelo carrego dos badalinhos. Mais uma colaboração entre a Mercearia de Marvão e a talentosa vizinha Maria Joaquim Bonacho, ceramista cá da terra

terça-feira, 13 de março de 2012

A loja do Sr. Falcão - Miranda do Corvo


Da maravilhosa loja do Sr. Falcão, em Miranda do Corvo, recebi hoje uns lindíssimos papeis de cantareira, com motivos infantis (confesso que desta vez para a minha colecção particular). Pena Miranda do Corvo ser tao longe que eu estou desertinha para conhecer este cantinho, bem como a taberna antiga. Descubram que vale a pena!

segunda-feira, 12 de março de 2012

Visite Marvão - primeira visita

Fiz ontem de manhã a minha primeira visita guiada no âmbito do Visite Marvão - visitas guiadas e passeios pedestres. Uma família de quatro lisboetas, muito simpáticos, que levei à Câmara Velha, Museu, Castelo e ruas desta terra linda, numa magnífica manhã de primavera. Trabalhar assim, será sempre um prazer!

sexta-feira, 9 de março de 2012

Bike Spirit - apresentação hoje na Beirã

Vai ser hoje apresentado na Beirã, o projecto Bike Spirit, de Luis Catarino. Uma óptima iniciativa para quem gosta de pedalar por montes e vales, num programa integrado que agrada a todos os gostos. Fico contente por ver surgir iniciativas bem pensadas, bem feitas, que aproveitam o bom que existe nesta terra, e que são uma mais valia para todos aqueles que vivem do Turismo . Amanhã cá aguardamos os ciclistas para uma prova dos nossos deliciosos rebuçados de ovo de Portalegre. Muito sucesso! Tudo de bom!

III Matança do Porco - Marvão


Caríssimos Amigos e Amigas,Vimos por este meio convidar-vos a participar na
3.ª Matança do Porco de Marvão!!!
Este ano com algumas novidades:Mais música...Decoração Alusiva à Matança no
Almoço...E uma equipa composta por todos os Orgãos Sociais para vos receber
e BEM SERVIR!!!
Contamos com a vossa presença,Inscrições
limitadas...
Marcações por telefone: 922 242 999 / 963112159 ou por
e-mail: centroculturalmarvao@gmail.com

segunda-feira, 5 de março de 2012

Caminhada no Porto da Espada


Bom dia
Fica o convite para a caminhada em Porto da Espada, dia 25 de Março, venham conhecer a paisagem envolvente da Aldeia de Porto da Espada no concelho de Marvão
Divulguem e participem
Tragam um amigo e cá vos espero - Inscrições telm. 966445022
Cumprimentos
Adelaide Martins

quinta-feira, 1 de março de 2012

Os queijinhos do avio

Entra o Sr. S. com uma dúvida acerca do Arquivo Municipal de Marvão (no comments...)
Repara nos pesos que eu tenho aqui em exposição e diz-me que ainda tem guardado em casa pesos pequenos (onças=60 gr) da antiga loja do pai.
- Ai o pai tinha uma Mercearia?
- Sim, lá em Campo Maior. Sextas feiras era o dia do avio. Vinham os trabalhadores rurais abastecer-se de mercearias e muitas vezes pagavam com o avio.
- Com o avio? Como era isso?
- Os trabalhadores recebiam o salário em género. Pão e queijinhos de ovelha, por exemplo. Depois vinham à mercearia e trocavam queijos por outros alimentos que precisavam.
- Não me diga, e a loja depois vendia os queijos?
- Sim, ou então eram para consumo próprio. Ainda hoje ao falar para a minha mulher quando vamos às compras e encontro queijinhos de ovelha, lhes chamo os queijos do avio.
Assim era o Alentejo dos anos 40/50

Marvão na BTL


Bom trabalho Felicidade! E muita divulgação a Marvão!
(foto escandalosamente roubada do fb do Turismo do Alentejo)